Itinerário de Pasárgada

Sim,gosto de ser musicado,de ser traduzido e... de ser fotografado.Criancice? Deus me conserve as minhas criancices!Talvez neste gosto,como nos outros dois,o que há seja o desejo de me conhecer melhor,sair fora de mim para me olhar como puro objeto.

Manuel Bandeira,1954

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Factual




E num importante momento você vê que cansou.
O cansaço de quem perdeu o motivo, o sentido, a causa.
A perda atas as mãos e pés, já não há o que fazer.
Deixas cair a máscara, já não precisas dela, cairás em si que fracassaste.
Percebeste que fingistes tão bem que até tu acreditastes na farsa?
Acreditastes nas verdades que tomastes para ti.
Enganastes de maneira leviana para esconder o que tava tão na cara.
Prendestes teus desejos e teus pensamentos em algemas.
Serás perseguido pelas correntes que ecoam o atrito para te fazer lembrar do começo da dor.
O grande martírio sentenciado único e exclusivamente pelo réu e juiz que te auto-flagela e auto-massacra até perderes a lucidez.
A razão, já não se encontra, perdeu-se em qualquer dos muitos becos sem saída que tens em tua mente.
No relógio são exatamente meia noite de uma meia vida.
Vida que fracassou, vida que sucumbiu em falta de ar.
Não precisas de amarras, solta-te das tuas angústias, reergue teus instintos mais primitivos.
De ti sobrou tão pouco, para não dizer que não sobrou nada.
Agarra-te a teu nada e transforma em teu tudo.
Resgata teu fôlego, aproveitas  silêncio, apagas a vela.
Podes salvar o que te sobrou de vida, agora que sabes que sóis medíocre.
Assumir-se medíocre.. A coisa mais nobre de tuas atitudes...
Agradeces agora..Acabou.

2 comentários:

  1. Meia noite de uma meia vida foi foda!!!!!
    E esse final dilacerante??? Vixi!

    ResponderExcluir